AMIGOS

domingo, 28 de setembro de 2008

'' FUTURO DA CADEIRA DE RODAS ''


Vários estudos sobre o futuro da cadeira de rodas, eis que um passa atrevidamente para que a realidade seja muito em breve. Só o custo e as necessidades das pessoas com deficiência irá determinar se o nosso futuro, vamos utilizar esta cadeira.
O primeiro prémio no Concurso da Estudantil Autodesk Inventor, a cadeira foi concebida pela Universidade Politécnica Warszawska Polônia. O projecto de cadeira foi concebida por uma equipa de design estudantes Polônia (Michal piersi, Milosz Jamrozy, Igor Modelski, Radziemski Bogusz, Rafal Krzysiak e Kamil RUSZCZYK).
À primeira vista, podemos determinar que a cadeira ainda é manual, impelido pela força. O que chama a nossa atenção é que a cadeira é constituída por apenas duas rodas. Na verdade, a principal inovação é a integração de um giroscópio preparada sob o assento e colocados em posição central.

Se assim for, estamos certos que será lembrado o princípio da Segway, que também permite uma passagem para peões sobre duas rodas com este fórum giroscópio. Não visíveis na imagem, mas representado no modelo 3D do tipo de bateria necessárias para o funcionamento do giroscópio não foi especificada. Ainda dizem que este é mais um conceito de que um plano detalhado para levar a produção real do produto.
Dizer que esta cadeira é um conjunto de engrenagens montadas sobre as duas rodas de um tamanho generoso. Os chassis para a sua parte é constituída por duas molas planas, que estão ligados ao giroscópio. Este não é o primeiro desafio que inspirou inventores do famoso Segway para propor novos conceitos cadeira de rodas ...
É óbvio que esta solução tão atraente embora tenha permitido essa equipe a ganhar o primeiro prémio.
Então, quando o giroscópio sobre duas rodas?

'' VISIONÁRIO ''



Shimizu Japão tem vindo a desenvolver uma cadeira de rodas com a mais alta tecnologia, ou bem concebido, mas que é francamente útil. Esta cadeira é equipada com sensores que analisam as condições ambientais, identificar riscos e ler informações a partir de em torno de edifícios, com etiquetas electrónicas. Isto significa que seja capaz de manobrar-se em segurança, até que ao destino predefinido. Pode também ser operados manualmente e é equipado com um volante e uma paragem de emergência. O programa reflecte a determinação mostrada pelo governo japonês para desenvolver uma rede para todos.
Por cá este belo equipamento é mera ficção, e bem fazia falta para anotar as falhas que a lei sobre as adaptações e acessibilidade para deficientes que neste país é um autentico desastre.
.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

'' UMA ASSOCIAÇÃO PARA BEM DOS CADEIRANTES ''






O Movimento Habitacional e Cidadania das Pessoas com Deficiência do Distrito Federal – MOHCIPED DF, fundado em 03 de maio de 2008, é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, de carácter social, sem fins económicos, políticos ou religiosos. O Movimento Habitacional e Cidadania das Pessoas com Deficiência do Distrito Federal – MOHCIPED DF tem como missão institucional: “Desenvolver actividades que visem aumentar a qualidade de vida das pessoas, por meio de acções sistemáticas e programadas nas áreas de: habitação, esporte, cultura, lazer, saúde, qualificação profissional, educação, alimentação, turismo, eventos e assistência social em geral”, tendo como visão de futuro: “Ser um modelo de agente de transformação na sociedade, mudando os paradigmas sociais existentes, para um novo modelo mais igualitário, com mais justiça social e cidadania para o indivíduo, para as comunidades e classes em situação de carência social”.

domingo, 14 de setembro de 2008

'' LADRÃO POR CAUSA JUSTA ''


Um homem protagonizou um assalto insólito no estado norte-americano do Texas ao entrar de cadeira de rodas numa loja, armado com taco de basebol e uma faca, para roubar... imaginem, preservativos.
O ladrão começo por bater na caixa registadora com o taco até ela se abrir, no entanto, mudou de ideias e em vez de roubar o dinheiro que ela continha, pegou em dez caixas de preservativos e numa bebida energética, possivelmente RedBull e pôs-se a milhas.
A polícia suspeita que o larápio estava sob efeito de drogas...

'' JOÃO LUZ_OITO ANOS DEPOIS ''


Estou feliz por voltar a sentir as emoções de uma grande competição de todo-o-terreno como esta." As palavras de João Luz ao Correio da Manhã reflectem o entusiasmo de quem viveu "momentos difíceis" e hoje, no arranque do Pax Rali – a etapa portuguesa do Dakar Series –, retoma "uma grande paixão." "Em 2000 sofri um acidente na última etapa da Líbia do Paris-Dakar e fiquei paraplégico", recorda o algarvio, navegador de Carlos Sousa naquela triste tirada.
Mas, oito anos depois, a aventura do experiente navegador, de 37 anos, continua, mesmo numa cadeira de rodas. 'Voltei às corridas em 2002, mas esta é a primeira de grande envergadura. Gosto de viver este tipo emoções.
Até me esqueço de eventuais riscos que possa correr e das minhas limitações', assume...


sábado, 13 de setembro de 2008

terça-feira, 2 de setembro de 2008

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

'' CONTINUA A DESCRIMINAÇÃO ''


''Cão-guia barrado à entrada de bar''
Um casal que serve de família de acolhimento de um cão-guia em fase de treino para auxiliar uma pessoa com deficiência visual viu barrado o acesso a um bar nas Caldas da Rainha e teve de chamar a polícia para desbloquear a entrada no estabelecimento. O dono do bar livrou-se de uma coima que podia ir até aos 45 mil euros – como determina a lei – porque o casal abdicou da queixa.
Elisabete Ávila, 33 anos, professora, e Edgar Ferreira, 28 anos, engenheiro electrotécnico, têm a seu cargo, há um ano, o ‘Cyclone’, um cão da raça labrador retriever, que lhes foi entregue pela Associação Beira Aguieira de Apoio ao Deficiente Visual, de Mortágua, para ensinarem o animal a comportar-se em casa e na rua.
O casal tem uma autorização especial – concedida pelo Decreto-Lei nº74/2007 – que lhe permite aceder a locais, transportes e estabelecimentos de acesso público interditos a outros animais.
Elisabete e Edgar moram em Viseu e foram passar uns dias na Região Oeste. Nas Caldas da Rainha, na noite de 15 de Agosto, pretendiam entrar num bar para que o ‘Cyclone’ se ambientasse a um espaço daquela natureza – que pode vir a ser frequentado pelo seu futuro dono – mas foram travados à porta.
"Mostrámos a identificação do cão e explicámos o decreto-lei e mesmo assim o responsável do bar bloqueou a entrada", contou ao CM Elisabete Ávila. "Tivemos de chamar a PSP, que informou o indivíduo que estes cães podem entrar em todo o lado."
Os animais têm de estar credenciados e identificados e até são dispensados do uso de açaimo quando circulem em lugares públicos. O animal não pode apresentar sinais de doença, falta de higiene nem agressividade.
Restrições a estes direitos são punidas com coimas, que vão dos 250 euros aos 3740 euros, quando se trate de pessoas singulares, e de 500 euros a 44 891 euros, quando o infractor for uma pessoa colectiva.
Related Posts with Thumbnails