AMIGOS

quinta-feira, 25 de junho de 2009

'' DEFICIENTES PRESOS EM CASA ''

Deficientes motores 'presos' em casa por falta de centros de reabilitação

Sem acesso a serviços de reabilitação de qualidade que lhes permita recuperar uma vida normal, muitos deficientes motores vivem 'presos' em casa, dependentes de familiares.

O alerta parte do presidente da Associação Portuguesa de Deficientes, Humberto Santos, que fala numa 'muito reduzida taxa de cobertura de serviços de reabilitação'.
Em Portugal existem apenas três Centros de Medicina de Reabilitação: no Porto, em Alcoitão e na Tocha. 'Teoricamente, quando saem do centro os doentes não precisam de fazer mais tratamento. Mas são muitos os que precisam de continuar a fazer reabilitação e por isso vão para ambulatório para manter o seu potencial', explicou Jorge Lins, responsável clínico do Centro de Reabilitação Rovisco Pais, situado na Tocha. Jorge Lins diz que 'a rede de cuidados ambulatórios já não é muito má', mas acredita que existam zonas do país onde a cobertura ainda é 'deficiente'.
Já Humberto Santos afirma, com base nas queixas que chegam à associação, que 'a cobertura dos serviços de reabilitação de qualidade é manifestamente insuficiente'.
'Muitas zonas estão a descoberto. Ainda no outro dia houve uma pessoa que me disse que desde que saiu de Alcoitão nunca mais fez fisioterapia', recorda Humberto Santos.
O especialista do Centro de Reabilitação da Tocha explica que todos os que precisam e não têm acesso aos tratamentos 'são prejudicados', ou seja, 'além de não potenciarem as suas capacidades ainda aumentam as suas incapacidades'.
'Estas situações colocam as pessoas na dependência de terceiros quando poderiam ser muito mais autónomas e ter uma vida muitas vezes normal', corrobora Humberto Santos, lembrando que há quem acabe por 'ficar retido a uma cama, uma casa ou confinado a uma cadeira de rodas'.
Tiago Sousa sofreu um acidente em 2005 que lhe provocou uma lesão medular. Internado durante meio ano em Alcoitão, o atleta de alta competição estranhou 'ver tantas cadeiras de rodas' quando esteve no centro de reabilitação.' Lembro-me de ficar surpreendido com a quantidade de pessoas que existem nesta situação e que eu nunca tinha visto nem imaginava que existiam, porque não andam na rua', recorda o jovem de 24 anos, que não tem dúvidas de que a falta de apoios e os obstáculos físicos que ainda existem no país 'deixam muita gente presa a uma cama'.
Depois do internamento, Tiago optou por ter consultas privadas de fisioterapia, porque 'no serviço de saúde pública o objectivo era apenas para manter e no privado era para melhorar', explicou Paula Pimenta, a mãe do jovem.
Hoje, Tiago, a quem começou por ser diagnosticado uma tetraplegia, já começa a dar os primeiros passos com a ajuda de muletas.
Mas Humberto Santos diz que nem todos os centros de recuperação têm a qualidade necessária. 'Não se reabilita ninguém com meia hora de tratamento por dia, muitas vezes apenas uma ou duas vezes por semana. É preciso haver um trabalho diário no ginásio sem limitação de horas'.
Contactado pela Lusa, o Ministério da Saúde remeteu para mais tarde um eventual comentário.


'' INSENSIBILIADE SOCIAL ''




Aluna com dislexia não terminou exame

Os pais de uma aluna do 9º ano, que tem problemas de dislexia, de Oliveira de Frades, vão apresentar queixa ao Júri Nacional de Exames e à Inspecção-Geral da Educação por a filha ter sido impedida de concluir o exame de Português, no tempo extra concedido aos estudantes com necessidades especiais.
Tal como em anos anteriores, os pais fizeram o requerimento à escola de forma a que a filha pudesse beneficiar de mais 30 minutos para a realização das provas. Acontece que os serviços do Ministério da Educação não responderam.
"Como não obtivemos qualquer resposta a minha filha pensava que ia ter mais 30 minutos para fazer a prova, o que não aconteceu. Deixou quatro questões por fazer", referiu a mãe da aluna.
O Sindicato de Professores da Região Centro acusa os serviços do Ministério da Educação de "insensibilidade social" ao não terem respondido "aos pedidos dos pais dos alunos com dislexia".
O que é a; O que é dislexia?

sábado, 20 de junho de 2009

'' EXEMPLOS DE AJUDA ''

Beatriz Jordão, Daniela Martins, Rita Ladeiro, Joana Silva e Sara Lopes e com o apoio da professora Lídia Ferreira, levaram a termo um projecto durante o ano lectivo sobre o tema 'Segurança Sobre Rodas' em que a disciplina era Área de Projecto. Com vendas de rifas e bolos, conseguiram arrecadar uma quantia de 900 euros com o propósito de adquirir cadeira de rodas para dar a instituições da região, que lutam a braços para ajudar seus usuários.
Estas alunas do 12º ano da Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo, em Leiria, e com o apoio da conhecida automobilista de provas de todo o terreno, Isabel Jacinto que com elas apresentaram a palestra 'Segurança Sobre Rodas', as quais foram apadrinhadas pela piloto de todo terreno nos seus projectos de condutoras.
Contaram também com uma farmácia da cidade, que também colaborou com a entrega de 4 cadeiras para os mais necessitados.
Esta palestra culminou um projecto com a duração do ano lectivo, que incluiu também acções de prevenção rodoviária em escolas do 1º Ciclo e entrevistas ao director da Ortopedia do Hospital de Leiria e a doentes que sofreram acidentes de viação.

'' TÁXI PARA DEFICENTES ''


Um veículo com capacidade para oito pessoas e com as características para uso só para deficientes, foi esta semana, na segunda-feira, apresentado no Porto. Um táxi em que cujo projecto privado, custou perto de 54 mil euros. Já tinha acontecido este projecto e, outros lugares de Portugal, como em Braga, Lisboa e Vila Nova de Famalicão, desta feita calhou ao Porto e foi apresentado na Praça General Humberto Delgado. A iniciativa partiu da empresa Táxis de Guimarães, Lda, o rosto deste projecto é António Guimarães, sócio gerente e condutor da referida viatura Táxi, em que diz algo que faz todo o sentido, numa altura de crise como aquela que atravessamos; 'uma aventura... só o transporte de pessoas com deficiências não dá para sobreviver porque são pessoas que não tem poder de compra para uma utilização diária, mas é necessário investir nelas'....

Leia mais: JN

terça-feira, 16 de junho de 2009

'' FILHA DE PUTA DE DIA ''






Não sou fruta de cheiro, sou uma pessoa que levou muitos chutos no rabo, muitas vergonhas e muitos sucessos. Posso contabilizar que os + são insignificantes ao pé dos negativos da minha pessoa, e os que me rodeiam, podem bem o justificar, se pequei, peço desculpa.

Hoje, por volta das 14,20 do dia corrente, fui a uma entrevista com um assistente social da Segurança Social, e quando entrei com naturalidade sou abordado com um segurança externo ao serviço normal da instituição.

Melhor seria que em vez de pagar a outros a segurança, poderiam empregar os que estão no desemprego, e porque não eu que até sou um dos muitos desempregados e que estes com reforma roubam lugares a outros. Bom, tudo isto para dizer que quando cheguei na recepção, fui abordado por um funcionário que me pediu, depois de dizer que queria falar com fulano, o nome e eu disse, Martinho Horta.

Após uns segundos de teclas no dispositivo telefónico, pergunta com cara de saloio ao colega a quem estava a render, 'Como é que Ele disse que se chama?'. Com isto, podia até ser o Primeiro Ministro, o Presidente da Republica ou até um outro Ele, mas fui, um coxo e embirrante fulano que ali chegou para travar a cavaqueira de um analfabeto que iria ocupar o lugar de quem já ali estava com bons resultados. Sabemos que rotação é qualidade de serviço, mas por favor, escolham melhor os que vão ocupar lugares de que precisamos todos os dias.

Ora, se isso se passa nos corredouros de fundo de uma Instituição Social após as 14 horas, como será o restante da segurança dos que frequentemente visitam um dos serviços que devia ser de sentido único, servir o beneficiário cidadão.

Certamente que o mesmo passa com muitas outras instituições, de quem nós tristes cidadões pagantes, somos descriminados por sermos inferiores.

É TRISTE SAIR EM DIA NÃO.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

'' ABRIU A CAÇA AO VOTO ''





Boletins de voto em braille vão ser distribuídos, pela primeira vez, nas eleições europeias em várias assembleias de voto, anunciou hoje o Ministério da Administração Interna.
Numa resposta enviada à Agência Lusa, após a Associação Portuguesa de Deficientes ter denunciado que o direito ao voto dos deficientes "não está garantido", o gabinete do secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, José Magalhães, refere que em colaboração com a Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO) foram produzidos, pela primeira vez, "fac-similes de boletins de voto em braille que serão distribuídos pelas várias assembleias de voto".
A Associação Portuguesa de Deficientes refere que "muitas pessoas com mobilidade condicionada não poderão exercer o seu direito de voto, porque não estão asseguradas condições para esse exercício".
Segundo a associação, o Estado "não garante" a acessibilidade física aos locais de voto às pessoas com deficiência motora e o acesso ao sistema de votação aos deficientes visuais.
De acordo com o gabinete de José Magalhães, a Direcção-Geral da Administração Interna (DGAI) estabeleceu contactos com as associações com vista a "preparar e desenvolver um conjunto de acções que visam assegurar melhores condições para o exercício do direito de voto de pessoas com necessidades especiais", nomeadamente a necessidade de se encontrarem edifícios com "boas acessibilidades para o exercício de voto dos deficientes".
Na nota, o gabinete do secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna salienta que a Comissão Nacional de Eleições tem feito apelo idêntico para que se consiga instalar as assembleias de voto em locais com acessibilidade para pessoas com capacidade reduzida, além dos "Guias Práticos dos Processos Eleitorais" destacarem esta matéria junto de quem tem competência para fixar os locais de voto.
O gabinete de José Magalhães diz ainda que ao longo dos últimos anos foi possível que muitas assembleias de voto passassem para pisos térreos e instalassem, nalguns casos, rampas amovíveis de acesso para cadeiras de rodas.
Fonte: Expresso

terça-feira, 2 de junho de 2009

'' VENDO CADEIRA DE RODAS LIGA LEVE ''

Adquiri uma cadeira de rodas da marca Remploy, modelo Veloce, mas infelizmente não me serve, sua volumetria é inadequada às minhas necessidades, começa por ser de uma medida acima da que eu preciso, entre portas, bem como o assento. Como sou alto e de perna longa, mas não coelho, o pedal fixo de apoio aos pés não me assenta na medida.
É uma cadeira muito leve, 10,5 kg, tem a característica de suportar até aos 105 kg, também é activa no sentido de regulação amortecedor ao assento, própria para quem está muito tempo sentado, e que ainda tenha sensibilidade na coluna, boa para descanso. Penso que poderá ser uma boa solução para algum amigo, para isso coloco fotos dela.
Como adquiri já usada, o preço foi um pouco acima de aquilo que estaria disposto a dar, mas se alguém estiver interessada na mesma, coloque a questão para eu estudar..






'' SUPER CADEIRA DE RODAS ''


Jerry Bower, membro da AMA Life, decidiu ajudar sua mulher que contraiu múltipla esclerose e precisou de uma cadeira de rodas. Esta alcançava 7 Mph e isso não era suficiente para algumas tarefas.
O marido construiu uma cadeira com um motor Honda e gostou tanto que fez uma segunda para ele mesmo, mas com um motor de moto. O novo modelo chega a atingi 130 mph !!
Fonte: Leia mais

'' CADEIRA DE RODAS MERCEDES ? ''

A Mercedes orgulha-se de mostrar o conceito do futuro Buggy a hidrogénio, próprio para passeio nas praias e lugares isolados, só para euromilionários, o MERCEDES F-CELL ROADSTER.
Construído em fibra de carbono, em que seu corpo principal é fibra de vidro. As rodas nada mais nos fazem lembrar as nossas rodinhas das nossas simples cadeiras.
Em termos energéticos, este conceito futurista consome 1,2KW de bateria de célula e atinge a vertiginosa velocidade de 25 Km/h, o que para muitos de nós, passa a ser realmente alucinante.
Todo o aspecto geral do Buggy é baseado no estilo que brindava os anos 1886, característico e patente da Mercedes-Benz.
Quanto a mim, vou esperar que esta maravilha chegue ao mercado de usados, quem sabe, talvez um dia...
.



Veja mais: Daimler Unveils Mercedes-Benz F-CELL Roadster With Hybrid Drive ...


Related Posts with Thumbnails