AMIGOS

sábado, 4 de julho de 2009

'' MÉDICO BATE EM DEFICIENTE ''


Mãe acusa médico de agredir deficiente
A mãe de Susana, uma jovem deficiente motora e mental, de 23 anos, residente em Castro Verde (Alentejo), acusa um psiquiatra do Hospital de Santa Maria (HSM), em Lisboa, de ter agredido a filha à bofetada, durante uma consulta, realizada no passado dia 19.
Adelina Santos afirma ter formalizado queixa no Livro de Reclamações do HSM, mas ainda não obteve qualquer resposta.
"O médico estava a falar alto comigo, devido a divergências na administração de medicamentos, e a minha filha, que tem mentalidade de uma criança, não gostou. Começou a gritar com o médico, chamou-lhe nomes e atirou uma cadeira ao chão" explica a progenitora, revoltada com a reacção do médico. "Mandou-a calar, mas ela não obedeceu. Então, levantou-se, foi direito à minha filha, que estava numa cadeira de rodas, e começou a esbofeteá-la furiosamente, por várias vezes", acusa.
Adelina Santos afirma que teve de agarrar o médico pelos braços, segurando-o com algumas dificuldades.
"A minha filha queixava-se de dores no ouvido esquerdo e de não ter audição. Fomos à Urgência do HSM onde fomos bem atendidos", afirma a mãe da vítima.
O responsável das relações públicas do Hospital de Santa Maria esclareceu ao CM que " a reclamação está a ser analisada e quando houver uma conclusão será comunicada à utente". Já o médico psiquiatra acusado de agressão, não se mostrou disponível para explicações.
O clínico é acusado pela mãe de Susana de fumar charuto durante as consultas. "Torna o ar irrespirável no consultório", garante Adelina, que promete não deixar a agressão à filha passar impune. "Vou esperar mais uns dias pela resposta" e garante que formalizará uma queixa junto do Ministério da Saúde.
Susana nasceu com deficiência motora hereditária. Já esteve internada no Hospital Júlio de Matos e toma cerca de 30 comprimidos diários para os nervos e para uma colite ulcerosa.

4 comentários:

  1. Fuma charuto e tem um copo de whisky atrás de algo na secretária? Já ouvi falar de um psiquiatra assim. Esta senhora que não se cale, por favor!

    ResponderEliminar
  2. Não é o primeiro relato de casos desses, tem médicos pscólogos que mais parecem doidos que outra coisa, por esse motivo, seria bom que se denunciem todos os casos.
    Caso tenha conhecimento de um ou outro semelhante, é só enviar mail que eu coloco aqui.

    Obrigado pelo cometário e sua visita ao meu modesto espaço.

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde!!!
    Se fosse com algum filho meu esse médico ficava sem dentes, pode crer! Bater num utente? Numa criança deficiente? A minha filha mais velha tem Paralisia Cerebral e garanto-lhe que se algum médico lhe puser uma mão em cima arrepende-se...

    ResponderEliminar
  4. Boa tarde amigo,

    Embora eu confinado a uma cadeira de rodas, se algo semelhante acontecesse com alguém que me seja querido, fique ciente de uma coisa, também não iria a ficar a rir.
    Só para lhe reforçar a minha determinação, quando passei pelo Rovisco Pais na reabilitação, tive lá um cromo na nossa camarata C,era mesmo a dor cromos, um tipo da GNR com uma espécie de AVC,e com a mania que a farda ainda lhe pesava por lá, queria mandar e abusar, até das enfermeiras e auxiliares se queria mostrar, até que um dia, já farto de queixas, saquei pelos colarinhos e coloquei-o em sentido, ganhou juizo, porque caso contrário, partia-lhe as ventas.
    Voltando ao assunto, é de uma baixeza total que um legado de saúde use seus meios para tirar partido de um enfermo, quanto mais de deficiente.
    Quanto a mim expulsos e outras coimas seria pouco, castrados ou então prisão perpétua, não merecem respirar o ar puro que um cidadão comum respira.

    Obrigado pelo seu comentário, volte sempre.

    ResponderEliminar

Obrigado pela vossa visita, vossos comentários são sempre bons para melhorar este espaço.
Voltem sempre.

Related Posts with Thumbnails